EXISTIMOS PARA O SERVIR

EXISTIMOS PARA O SERVIR
EMMÉRY MACEDO - COMERCIAL - NIF 2405252392

ADVERT

DEIXE QUE ALGUÉM AQUI, AJUDE-LHE A ENCONTRAR A MELHOR SOLUÇÃO...

SERVIÇOS DE QUALIDADE À BAIXO PREÇO...


Monday, 28 January 2013

Central de Ciclo Combinado do Soyo - Gás natural começa a produzir energia em 2015

Foto: ANGOLA LNG


O Ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, garantiu, esta Segunda-feira, 28/01, em Luanda, que até Dezembro de 2014, ficará concluída a instalação do ciclo combinado do Soyo.

Segundo o Ministro da Energia e Águas, em 2015, o gás natural vai começar a ser usado para a produção de energia para abastecer a província de Luanda, e as cidades de Mbanza Congo e N’zeto no Zaire.


“O projecto de instalação da central ciclo combinado do Soyo que vai queimar gás natural estará concluído até Dezembro de 2014. Portanto será, previsivelmente, a partir de 2015 que nós utilizaremos gás natural para a produção de energia”, concluiu o ministro.

A EDP e a Sonangol assinaram um contrato para a construção de uma central de ciclo combinado no Soyo, com uma capacidade de 400 MW, envolvendo um investimento estimado em cerca de USD 500 milhões. O contrato envolve ainda um projecto de electrificação de zonas rurais e remotas de Angola com energias renováveis.

O projecto, que conta com a assessoria financeira do Millennium BCP e do Banco Privado Atlântico (BPA), resulta da parceria entre a EDP e a Sonangol assinada em Julho de 2009, através da constituição da holding EIH, cujo capital é detido a 30% cada pela EDP, Sonangol e Banco Privado Atlântico e os restantes 10% pela FiniCapital.

O contrato entre os dois bancos, o Millennium de capital maioritariamente português e o BPA, de capital maioritariamente angolano, abrange assessoria e financiamento da central e da rede de transmissão entre o Soyo e Luanda.

Na cerimónia de assinatura do contrato, que contou com a presença do primeiro-ministro português José Sócrates, foi anunciado que a construção da central devia ter arrancado no primeiro trimestre de 2011. Contudo, não foi possível obter informações sobre o estado de execução do projecto nas páginas online da EDP ou do ministério da energia e águas de Angola.

Veja os vídeos seguintes sobre projectos similares e funcionamento de centrais de ciclo combinado

Argentina (Video em Espanhol)

Bélgica (Video in English)

Central de ciclo combinado (Video in English) 


Referência:

1)http://www.opais.net/pt/dossier/?id=&det=14745&mid=

2)http://www.angonoticias.com/Artigos/item/37388/gas-natural-comeca-a-produzir-energia-em-2015-garante-ministro


Compilado por:

Emméry  Macedo
www.angolapowerservices.blogspot.com

Thursday, 24 January 2013

SOLICITAÇÕES DE EMPREGOS – NOTA DE ESCLARECIMENTO



Temos estado a receber algumas solicitações de empregos. Contudo, gostaríamos de esclarecer que a Angola Power Services (http://www.angolapowerservices.blogspot.com), é somente um blogue de eletricidade, usado para partilha e intercâmbio de ideias e conhecimentos, e por isso não estamos a receber qualquer candidatura para empregos. Não somos uma empresa legalmente constituída.


Aproveitamos igualmente para informar que nesse blogue contem dois links filtrados, na parte lateral direita,  para empregos no ramo da electrotecnia. Poderá encontrar algumas oportunidades de emprego usando os referidos links. Contudo, não aceitamos qualquer responsabilidade na utilização do mesmo.

Assim que tivermos o processo de constituição da empresa concluído e as condições criadas para a nossa implementação no mercado, tornaremos público o plano de necessidade de quadros  e o seu respectivo recrutamento.


EMPREGOS - ELECTRICIDADE (ANGOLA)

Use os links abaixo para empregos em Angola:




Publicado por:

Emméry Macedo
http://www.angolapowerservices.blogspot.com





Thursday, 17 January 2013

Quatro estudantes nigerianas criam gerador movido a urina

Esta é a segunda notícia que publicamos, sobre projectos empreendedores de estudantes africanas. Desta vez vamos até Lagos, na Nigéria, para falar da invenção de Duro-Aina Adebola, Akindele Abiola, Faleke Oluwatoyin e Bello Enionla, de 14 e 15 anos: Um gerador movido a urina.

Segundo o CNET, que está a divulgar a informação para todo o mundo, o gerador permite até seis horas de electricidade a partir de um litro de urina. A urina é colocada numa célula electrolítica, que separa a ureia em nitrogénio, água e hidrogénio. Depois, o hidrogénio é enviado para um filtro de água, para purificação, sendo depois puxado para o cilindro do gasóleo.

Finalmente, este cilindro empurra o hidrogénio para um cilindro de bórax líquido, usado para remover a humidade do hidrogénio. Finalmente, o hidrogénio purificado é enviado para dentro do gerador.

Na verdade, e apesar de inovadora, esta tecnologia não é eficiente, explica ainda o CNET. “É um projecto escolar, por isso não o levem muito a sério”, explicou Gerardine Botte, engenheira química da Universidade do Ohio que inventou o processo de electrólise da ureia.

Ainda assim, o projecto já teve uma grande victória: foi falado em todo o mundo, tendo sido comentado por cientistas de renome. Quantos estudantes, em todo o mundo, conseguiriam fazê-lo?

Em Agosto de 2010, publicamos igualmente neste blogue um artigo relacionada ao uso de urina com fonte de energia. A equipe do Laboratório de Robótica de Bristol (BRL) está investigando o uso de urina em células combustiveis Microbials (CFM), que usam as culturas de bactérias que decompõem o material orgânico para gerar energia. veja o artigo relacionado no link abaixo:
http://angolapowerservices.blogspot.com/2010/08/urina-poderia-deixar-de-ser-um-residuo.html


Referência:



Compilado por:
Emméry Macedo

Tuesday, 15 January 2013

Como a energia solar está a revolucionar as economias rurais africanas - SUNLABOB


Novas instalações de energia solar estão a ajudar as comunidades de alguns dos mais pobres países de África e desenvolver a sua economia local e novos negócios. Uma das empresas que está a ajudar a este processo é a Sunlabob, que nos últimos meses instalou 10 novos sistemas em países como Serra Leoa, Libéria e Moçambique.
A empresa recebeu apoio das Nações Unidas para ajudar a levar a electricidade a 75% da actual população subsariana, actualmente sem acesso a este recurso essencial à qualidade de vida.

Em Moçambique, a Sunlabob e as Nações Unidas trabalham para desenhar e instalar sistemas fotovoltaicos em quatro regiões, permitindo ligações de internet mais rápidas, rádio e telecomunicações. Os sistemas chegarão também a Chicualacuala, um dos mais isolados distritos moçambicanos.

Na Serra Leoa, foram instalados sistemas em Bo, Kpandebu e Pujehun, que possibilitam que computadores e ligações de internet sejam uma realidade em centros de aprendizagem para jovens. Aqui, os mais novos aprendem a escrever e ler, trabalhar a madeira e outras artes.
Finalmente, um sistema de 20kW na Libéria está a gerar energia para o Rubber Science Technology Institute, focado na formação de locais nas artes do trabalho da borracha. Esta indústria representa 60% das exportações do país.
A Sunlabob já tinha instalado sistemas fotovoltaicos em áreas rurais da Etiópia, Eritreia e Guiné-Bissau e está também a instalar o sistema em mais de 60 escolas do Uganda.
“A electrificação rural está a abrir novas portas para as economias locais, dando acesso a melhores cuidados de saúde e mais oportunidades de aprendizagem [para as populações]”, explicou Andy Schroeter, fundador e CEO da Sunlabob.
Para mais informações sobre a Sunlabob e seus projectos a nível global, veja os vídeos abaixo e visite    o respectivo website (informação em inglês): http://www.sunlabob.com





Fonte:http://greensavers.sapo.ao/2012/12/27/como-a-energia-solar-esta-a-revolucionar-as-economias-rurais-africanas/
Compilado por: Emméry Macedo.

Wednesday, 9 January 2013

Apresentado o primeiro telemóvel à prova de água - Sony Xperia Z



Uma em cada 10 pessoas confessa já ter deixado cair, acidentalmente, o telemóvel na sanita ou numa banheira cheia de água. Os números são da Sony, multinacional japonesa, que, para evitar as consequências deste tipo de incidentes, que, na maior parte das vezes, culmina na avaria dos aparelhos, apresentou o primeiro smartphone do mundo à prova de água.

O Sony Xperia Z, última novidade da empresa, tem um ecrã de 12,7cm e a multinacional garante que o telemóvel, resistente ao pó, aguenta ficar submerso em água a mais de um metro de profundidade durante 30 minutos, e, caso se suje, pode também ser lavado normalmente com água da torneira.

O dispositivo foi apresentado recentemente na feira de tecnologia Consumer Electronic Show em Las Vegas, nos EUA, e, de acordo com os criadores, o segredo desta capacidade de "sobrevivência" está no facto de todas as "portas" do smartphone disporem de uma capa protetora de plástico que tem de ser removida antes da utilização.

Além destas caraterísticas especiais, o Xperia Z tem incorporada uma bateria com a tecnologia "stamina", que prolonga o tempo de autonomia do telefone desligando automaticamente as aplicações que consomem muita energia quando o aparelho está em standby.



O smartphone dispõe ainda de quatro processadores e tem 2GB de RAM e é também o primeiro do mundo a integrar a visualização de vídeos de 1080 x 1920p em alta definição, além de conseguir capturar vídeo e fotografias com 13MP.

"Com o Xperia Z, estamos a trazer metade de um século de inovação em televisão, imagem, música, cinema e jogos para a criação de um 'supertelemóvel' que sobressai verdadeiramente", afirmou Kuni Suzuki, presidente e diretor executivo da Sony Mobile Communications, citado pela imprensa internacionais.

"Colocando os smartphones no coração da sua estratégia, a Sony está a permitir às pessoas criar, partilhar e desfrutar de conteúdos e experiências como nunca aconteceu no passado", acrescentou, salientando as suas "boas especificações" e a "surpreendente duração da bateria".

Este não foi, porém, o único dispositivo resistente à água apresentado naquele evento pela multinacional. A Sony deu ainda a conhecer uns auscultadores com MP3 incorporado à prova de água, os The Walkman W273, que foram desenhados especialmente para serem utilizados durante a natação e que serão colocados à venda já em Fevereiro por cerca de 73 euros.


Fonte: http://boasnoticias.clix.pt/noticias_Apresentado-o-primeiro-telemóvel-à-prova-de-água_14113.html

Publicado por:

Emméry Macedo
My photo
Luanda, Angola
Consultoria e Prestação Serviços powered by Emméry Macedo - Engenheiro Eletrotécnico, BTECH, BEST CUM LAUDE, pela Durban University of Technology (DUT), Galardoado pelo Institute of Professional Engineering Technologists (IPET), Bacharel em Ciências Matemáticas pela Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto de Angola, Professor de Matemática e Física pelo IMNE- Garcia Neto, Professor de Electrόnica de Potência da Universidade Metodista, membro do IET - Institution of Engineering and Technology MIET nº 91651226, membro da Ordem dos Engenheiros de Angola OEA nº 2924, com certificação em ETAP, SKM, HV Switching, SAEP, etc...

Consultoria num click....